Saúde e bem-estar

Mofo nas paredes, mantenha longe de si e do seu bebé

Muitos sofrem com o aparecimento de mofos nas paredes durante as épocas mais húmidas do ano. Junto com eles, vêm as alergias. O que fazer?
16 de fevereiro de 2020
Uma mão apontando para uma porta com mofo

Nas épocas mais húmidas do ano, é comum observamos a humidade relativa do ar ultrapassar os 80%. Um ambiente húmido oferece condições ideais para o aparecimento de mofos e bolores em nossas habitações. Vamos entender quais os riscos para a saúde e o que podemos fazer para evitá-los.

O que são mofos e bolores?

Mofo ou bolor são nomes comuns dados a alguns tipos de fungos filamentosos. Podem ser considerados "parentes" próximos dos cogumelos, pois ambos são classificados como organismos do reino Fungi, apesar de não apresentarem as mesmas características. Os mofos e bolores são micro-organismos que sobrevivem da decomposição da matéria orgânica.

Podem crescer sobre alimentos (como pães e frutas), couro, madeira, papel e diversos outros materiais. Suas colônias podem apresentar-se em diversas cores: preto, branco, laranja, verde e roxo, são as mais comuns.

Como se formam?

Os fungos multiplicam-se através da dispersão das suas células reprodutivas pelo ar, chamadas de esporos. São partículas microscópicas com tamanho da ordem de 100 nanômetros (mil vezes menores do que a largura de um fio de cabelo). Essas partículas são facilmente carregadas pelo vento e espalham-se por longas extensões. Certamente todo o ar presente em nossas habitações contém alguma quantidade de esporos, que estão sempre a aguardar as condições ideais para se reproduzir.

Em geral, os esporos dos mofos e bolores precisam de 3 elementos para crescer e se reproduzir:

Matéria orgânica

O ideal é manter a casa sempre limpa, claro. Porém, mesmo que as casas sejam bastante limpas, é impossível remover toda a matéria orgânica de ordem microscópica (partículas de celulose, restos de células mortas e outros microorganismos). Essas estarão sempre ao alcance dos mofos e bolores.

Oxigênio

O oxigênio é outro elemento que não podemos controlar. Afinal de contas, também precisamos dele para sobreviver. O ar que respiramos contém 21% de oxigênio.

Calor

Os mofos e bolores apresentam crescimento acelerado em ambientes com temperatura acima de 20ºC. Nesse ponto, também não há o que fazer, pois a temperatura interna de uma casa normalmente oscila entre 21 e 25ºC.

Água

Os fungos precisam de água para sobreviver. Ambientes muito húmidos são ideais para o aparecimento de mofo e bolor nas paredes e armários. A humidade é o único elemento sobre o qual podemos ter algum controle.

Quais os riscos?

O risco principal que existe em um ambiente com presença de mofo e bolor nas paredes, é a alta concentração de esporos no ambiente.

Quando em pequenas quantidades, os nossos pulmões são perfeitamente capazes de defender-se dos esporos e eliminar qualquer risco de infecção.

Porém, quando a concentração de esporos é muito alta, algumas pessoas mais sensíveis a alergias ou com a imunidade mais frágil, como a dos bebés, tornam-se susceptíveis à doenças e infecções respiratórias relacionadas aos fungos.

Todo fungo faz mal?

Não. Alguns fungos são, inclusive, utilizados na fabricação de remédios (a penicilina por exemplo, é extraída de um tipo de fungo) e também são muito utilizados pela indústria alimentícia na fermentação de queijos, cervejas e vinhos, entre outras aplicações.

O que fazer?

Apesar de ser impossível eliminar por completo a presença dos fungos e seus esporos do ar que respiramos, com algumas dicas simples, é possível reduzir os riscos associados à sua presença e impedir que se reproduzam em nossas casas:

Ventile o ambiente

A humidade acumula-se com facilidade em ambientes fechados. A nossa respiração emite vapor d'água e isso faz a humidade do ambiente aumentar. Um quarto onde se dorme com as janelas fechadas pode facilmente ultrapassar os 90% de humidade relativa durante a noite. Sempre que possível, abra as janelas pela manhã e deixe a ventilação natural fazer a troca do ar e reduzir a humidade. Nos dias de inverno deixar as janelas abertas pode ser um desafio, mas infelizmente é necessário.

Deixe a luz do sol entrar

A luz do sol contém raios ultravioletas que são capazes de eliminar os esporos do ar. Dessa forma, um ambiente que recebe iluminação natural estará sempre a reduzir a quantidade de esporos no ar.

Produtos removedores de bolores e fungos

Alguns produtos que existem no mercado também podem ajudar no controlo do mofo. Nas casas de bricolagem, existem algumas tintas anti-fungos que podem ser utilizadas. Nas casas rés do chão, onde o problema com humidade pode ser um pouco mais grave, as tintas podem ser uma solução necessária, embora não definitiva, pois muitos prédios ao serem construídos não foi feita a impermeabilização do concreto para o resto da construção, então as paredes acabam por atuar como grandes esponjas de humidade do solo.

CIF Perfect Finish e UHU Removedor de bolores e fungos
CIF Perfect Finish e UHU Removedor de bolores e fungos

Além disso, produtos como CIF Perfect Finish e UHU Removedor de bolores e fungos, à venda em alguns lugares como Auchan, Continente, Aki e Leroy Merlin são seus melhores amigos nessa hora. Com lixívia na composição, podem ser utilizados para remover aquelas manchas que ficam no teto do banheiro, nas paredes do quarto etc.

Use um desumidificador

A humidade ideal recomendada para habitações é entre 40 e 60%. Sendo que a reprodução dos mofos e bolores é acelerada em ambientes com humidade relativa acima de 70%. Em Portugal, muitas vezes a humidade relativa está acima desse valor, podendo chegar acima dos 90%, como é possível ver na foto abaixo.

Foto do valor de humidade em Lisboa
Fonte:Google

Nesse caso, só ventilar o ambiente não irá resolver, pois a humidade do ar externo estará muito acima do limite recomendável para impedir o crescimento de mofo. Para reduzir a humidade neste caso, pode-se utilizar um desumidificador de ambiente. O desumidificador atuará retirando a humidade do ar, transformando o vapor presente no ar em gotas de água. A depender do nível de humidade do ar, o desumidificador pode ficar ligado algumas horas, ou até mesmo o dia inteiro.

Acha que nosso post pode ajudar mais alguém? Partilhe!
Link copiado