Saúde e bem-estar

15 benefícios dos porta-bebés que você precisa saber

Os porta-bebés promovem profunda conexão entre pais e bebés, além de facilitar os passeios. Saiba mais sobre eles.
17 de fevereiro de 2020
Pai segurando o filho com o porta-bebé

A prática de babywearing, de transportar o bebé junto ao corpo, é o método mais antigo de transporte de bebés. Surgiu com o uso de panos e tecidos que, quando amarrados, formam uma bolsa para o transporte do bebé. Hoje, além dos panos e tecidos, existem também mochilas ergonómicas que possuem a mesma função.

Os porta-bebés têm ganhado popularidade nos últimos anos, principalmente após a publicação de estudos científicos que comprovam os benefícios que o transporte junto ao corpo dos pais traz para o desenvolvimento dos bebés e crianças. Veja quais são os benefícios:

1. Fortalece o vínculo com o bebé

O uso de porta-bebés permite que o bebé sinta o calor e escute os batimentos do coração da mãe, o bebé já fazia antes mesmo de nascer. O contacto constante entre o corpo do bebé e o corpo da mãe está relacionado com o fortalecimento do vínculo entre mãe e filho.

2. Bebés choram menos e são menos agitados

Um estudo feito por pediatras em 1986, verificou que bebés carregados com porta-bebés podem reduzir o choro em até 54%. Além disso, o toque contínuo, a amamentação frequente e uma mãe sempre alerta, fazem com que os bebés fiquem menos agitados.

3. Ajuda o desenvolvimento físico do bebé

O estímulo táctil no corpo do bebé promovido pelo movimento do caminhar da mãe, promove o ganho de peso e o aumento na densidade óssea do bebé.

4. A mãe fica mais atenta ao bebé

Estudos verificaram que mães que utilizam porta-bebés para o transporte dos filhos ficam mais atentas aos comportamentos e aos sinais emitidos pelo bebé.

5. Redução nos sintomas de refluxo e melhora a digestão

Como os bebés ficam em posição sentada (com o devido suporte para a coluna e pescoço), eles têm menos refluxos, vômitos e tosses, reduzindo também os problemas respiratórios.

O estímulo táctil promovido pelo transporte com o uso de porta-bebés libera hormônios responsáveis pela absorção dos alimentos nos bebés, melhorando a sua digestão.

Estudos comprovaram que os bebés das mães que utilizam porta-bebés bolçam menos.

6. Reduz os ricos de otite média

A otite média é a infecção do ouvido médio. O refluxo pode depositar suco gástrico no canal do ouvido médio do bebé e deixá-lo exposto ao risco de infecção. Os porta-bebés reduzem os sintomas de refluxo.

7. Ajuda na depressão pós-parto

A depressão pós-parto é uma doença comum e pode afetar de 20 a 35% das mulheres. Um estudo de 1996 concluiu que os bebés respondem positivamente a um maior contacto físico, mesmo nos casos em que a mãe está a sofrer com depressão pós-parto.

Além disso, estudos também demostraram que mães que passaram 5 horas em contacto físico com o seu bebé, durante a primeira semana de vida, reportaram melhoras significativas no grau de depressão pós-parto.

Vale lembrar que os porta-bebés podem ajudar, mas não são uma cura para a depressão pós-parto. Procure imediatamente um médico caso sinta qualquer sintoma relacionado a essa doença.

8. Aumenta as taxas de amamentação

Foi verificado que mães que utilizam porta-bebés por pelo menos 1 hora por dia durante o primeiro mês de vida do bebé, têm taxas significativamente maiores de amamentação.

9. Relaxamento e bem-estar para mãe e o bebé

O toque e a troca de calor humano estimulam a produção de oxitocina, que é um hormônio relacionado à redução do stress, redução da pressão arterial e diminuição dos níveis de cortisol.

10. Semelhante ao útero materno

Após o nascimento, o mundo do bebé muda completamente e isso gera um grande stress no seu corpo. Os porta-bebés envolvem completamente o corpo dos bebés e assemelham-se ao útero materno, facilitando a transição.

11. O bebé sente a presença constante da mãe

Os bebés reconhecem a separação física de suas mães e, muitas vezes, choram quando afastados e acalmam-se ao retornar para o colo da mãe. Isso é um instinto natural e os porta-bebés dão uma segurança de proximidade constante ao bebé.

Mães e bebés sincronizam seus batimentos cardíacos quando estão em contacto. Com o uso do porta-bebés, os bebés sentem melhor a presença e o contacto da mãe, através dos seus batimentos, seu calor e sua voz.

12. Os humanos são adaptados a ergonomia do porta-bebés

A biologia define 3 classificações para os mamíferos com relação ao seu comportamento de cuidados com o filho após o nascimento. Os humanos, assim como os macacos, são considerados "carregadores", pois carregam seus filhos quando pequenos. Existem também os "aninhadores", que escondem seus filhos em um local seguro e outras que os filhos viram "seguidores" dos pais e já começam a andar e segui-los quase imediatamente após o nascimento.

13. Reduz riscos de plagiocefalia

A plagiocefalia ou transtorno da cabeça achatada, é caracterizada pela modificação do formato da cabeça dos bebés. Como eles ainda tem ossos em formação, quando os bebés passam muito tempo deitados, o apoio prolongado da cabeça sempre na mesma posição pode ocasionar esse transtorno. Com o uso de porta-bebés, os bebés tendem a passar mais tempo sentados, reduzindo assim os riscos de plagiocefalia.

14. Mais confortável para a mãe

O porta-bebés facilita o transporte. A carga de carregar um bebé nos braços pode ser até 16% maior do que ao utilizar um porta-bebés. Além disso, a mãe fica com as mãos livres para outras tarefas.

15. Aumenta a confiança parental

Estudos demostram que mães que utilizam porta-bebés reportaram sentimentos de maior confiança e competência em suas habilidades parentais.

Acha que nosso post pode ajudar mais alguém? Partilhe!
Link copiado