Como escolher

Saiba como escolher o intercomunicador ideal para o seu bebé

Vamos esclarecer todas as suas dúvidas de funcionamento e quais as funções que existem para ajudar você a ficar de olho no seu bebé.
11 de fevereiro de 2020
Foto de um bebé sendo visto através de um intercomunicador

Como os pais não podem ficar ao lado dos bebés a cada segundo do dia, um intercomunicador, na maioria das vezes, é um item indispensável. Existem imensas opções no mercado e alguns fatores devem ser analisados para que você compre algo que realmente atenda às suas necessidades e nós vamos te ajudar.

Quem precisa de um intercomunicador?

Todos sabem que um bebé recém-nascido precisa de todo o cuidado e atenção dos pais durante os primeiros anos de vida. Nos primeiros meses, é provável até que durma em um berço co-sleeping ao lado da cama dos pais para receber a máxima atenção.

Porém, sempre chega o dia em que o bebé deve começar a dormir em seu próprio quarto, seja para acostumar-se a dormir sozinho, ou para que os pais possam voltar à rotina. Nesse momento, é muito importante a utilização de um bom intercomunicador, para que os pais possam dormir sossegados a saber que irão escutar qualquer choro ou ruído vindo do quarto do seu bebé.

Como funciona um intercomunicador?

Um intercomunicador é sempre composto por duas unidades: a unidade do bebé, que deve ser posicionada no quarto da criança próximo ao berço, e a unidade dos pais, que deve ser colocada no quarto dos pais, para que possam monitorar o bebé. A transmissão é sempre feita sem fios.

A unidade do bebé é equipada com um microfone de alta sensibilidade, para captar até os menores ruídos do ambiente e transmiti-los para a unidade dos pais, que dispõe de um alto-falante para que os pais possam escutar o que se passa no quarto do bebé.

Alguns intercomunicadores possuem áudio bidirecional que permite que os pais falem com o seu bebé através do intercomunicador, para acalmá-lo. Nesse caso, ambas unidades (a dos pais e a do bebé) possuem microfone e alto-falante, para que possam comunicar-se entre si.

Antigamente, podia-se monitorar apenas o som do bebé através do intercomunicador, pois os modelos mais antigos transmitiam apenas o áudio do ambiente. Hoje em dia, estão cada vez mais comuns os intercomunicadores com câmara, que transmitem o áudio e o vídeo do quarto do bebé. Dessa forma, os pais podem ver e ouvir seus pequenos a qualquer hora do dia ou da noite.

Tipos de intercomunicador: analógico x digital

Quanto ao tipo de transmissão, os intercomunicadores podem ser divididos em dois grupos: os que fazem transmissão analógica e os de transmissão digital.

Intercomunicadores analógicos

O primeiro intercomunicador analógico começou a ser vendido em 1938. Essa é a forma mais antiga de transmissão e é a mesma utilizada pelas estações de rádio até hoje (AM ou FM). Hoje em dia ainda é possível encontrar alguns modelos de intercomunicadores analógicos no mercado, embora os digitais representem a grande maioria.

As principais desvantagens dos analógicos são a susceptibilidade a interferências e interceptações e, também o fato de que, em geral, transmitem apenas o áudio e não possuem opções com câmara.

Não é algo incomum interceptar uma conversa telefônica de um vizinho que estiver a utilizar um telefone fixo sem fios e ouvir a conversa pelo intercomunicador analógico. O contrário também pode acontecer: um vizinho ouvir o áudio do intercomunicador através do seu telefone sem fios.

Intercomunicadores digitais

A partir de 1994, os intercomunicadores de bebé com transmissão digital começaram a ganhar espaço no mercado. Nesse tipo de transmissão, os sinais de áudio e vídeo são primeiro transformados em bits (valores de 0 e 1) e somente depois são transmitidos. No receptor, é necessário fazer a leitura e o processamento dos dados, para convertê-los novamente nos sinais originais.

As principais vantagens são a redução das interferências, e com os processadores cada vez mais rápidos, surgiram os intercomunicadores com câmara.

Apesar dos sinais transmitidos estarem codificados em valores de 0 e 1, os intercomunicadores digitais não são imunes à interceptação. A decodificação do sinal é simples e alguém com más intenções pode facilmente captar o sinal e invadir a privacidade de quem estiver a transmitir.

Para ter uma conexão 100% segura e privada, além da codificação, é necessário algum tipo de criptografia dos dados. Para solucionar esse problema, surgiu então a tecnologia DECT.

Transmissão DECT. O que é?

DECT (Digital Enhanced Cordless Communications) é um padrão internacional para comunicações sem fios. Esse padrão determina uma frequência reservada para transmissão e também define um padrão para criptografia para garantir a privacidade da conexão.

Na transmissão com criptografia, ainda que o sinal seja interceptado, ele não poderá ser interpretado, pois os dados estarão codificados com base numa chave de segurança (como uma senha do Wi-Fi) e só quem tem acesso à essa chave consegue decodificar e perceber o que foi transmitido.

As principais vantagens da tecnologia DECT são a criptografia da transmissão, e por operarem numa faixa exclusiva de frequência, são muito pouco susceptíveis a interferência de outros equipamentos.

Apesar da DECT padronizar a criptografia em suas transmissões, a criptografia não é exclusividade da tecnologia DECT. É possível que intercomunicadores que não utilizem a transmissão DECT tenham seus próprios sistemas de criptografia.

Os intercomunicadores emitem radiação?

Sim, os intercomunicadores emitem radiação eletromagnética. É assim que fazem a transmissão dos dados. Sem a radiação, nem eles, nem o Wi-Fi da sua casa, nem o seu telemóvel ou o seu 4G poderiam funcionar.

Esse é um tópico polêmico e que costuma tirar o sono de muitos pais. Leia o nosso post sobre a radiação em intercomunicadores para entender mais sobre o assunto.

Funções extras

Além de transmitirem áudio e vídeo, os intercomunicadores hoje oferecem vários recursos para facilitar a vida dos pais e deixá-los ainda mais sossegados enquanto estiverem longe do seu bebé.

Veja quais são e escolha os mais importantes para a sua família.

Falar com o seu bebé (áudio bidirecional)

Intercomunicadores com essa função permitem que os pais, ao toque de um botão, possam falar com o seu bebé. Sendo assim, é possível acalmar a criança com o som da sua voz.

Unidade dos pais sem fio

Muitos intercomunicadores permitem que a unidade dos pais seja desconectada da energia temporariamente, mantendo-se em funcionamento com baterias recarregáveis. A duração das baterias varia de acordo com o modelo. Ideal para idas à casa de banho ou à cozinha, enquanto o bebé dorme.

Em relação a unidade dos bebés, ela precisa estar conectada à rede elétrica para funcionar.

Modo ECO ou VOX (economia de energia)

Essa função faz com que os intercomunicadores desliguem a transmissão de vídeo e áudio durante os períodos de silêncio. O microfone continuará ligado e a unidade volta transmitir novamente caso o bebé faça barulho. Esse modo ajuda a reduzir o consumo de energia e prolonga a duração da bateria.

Visão noturna

A grande maioria dos intercomunicadores com câmara disponível hoje no mercado possuem esta função. O equipamento possui LED infravermelhos (invisíveis aos nossos olhos) que permite monitorar o quarto do bebé mesmo durante a noite, no escuro ou com pouca luz.

Luz noturna

Alguns equipamentos dispõem de uma luz de presença para que o bebé fique mais calmo e sinta-se mais seguro em um ambiente com iluminação confortável, sem estar na escuridão total.

Sensor de temperatura

Controle a temperatura do quarto do seu bebé através desse recurso. Alguns modelos permitem configurar alertas para soar em caso de temperaturas muito altas ou baixas.

Zoom digital

Permite ampliar a imagem no ecrã para poder ver mais detalhes do bebé. Pode ser útil para quem deseja posicionar a câmara um pouco mais longe do berço, por exemplo.

Músicas de embalar

Oferece músicas para embalar o sono das crianças. Com melodias relaxantes para ajudar seu bebé a dormir com tranquilidade.

Acessível em dispositivos móveis (com Wi-Fi)

Alguns intercomunicadores permitem a conexão com a rede Wi-Fi da sua residência para que você possa acompanhar o seu filho pela internet a partir de qualquer lugar. Normalmente o monitoramento é feito a partir de uma aplicação móvel que a marca do intercomunicador disponibiliza para download.

Os pais costumam adorar a facilidade de poder ver seu filho do seu smartphone ou tablet, independente de onde esteja, mas como a transmissão é feita por Wi-Fi, há riscos de interceptação dos dados.

Alguns intercomunicadores possuem algum tipo de função de privacidade que ajuda a amenizar o problema, como no caso da câmara Inteligente para bebés Lollipop que possui o modo "ativar privacidade" que bloqueia a transmissão.

Conexão segura e privada

Para evitar a interceptação dos seus dados e a perda da sua privacidade, procure sempre equipamentos com tecnologia DECT (que obrigatoriamente incluem a criptografia dos dados), ou equipamentos que mencionem expressamente que os dados serão criptografados antes da transmissão.

Extensível para mais câmaras

Com essa função é possível acompanhar mais de uma câmara através de um único ecrã. Esse recurso pode ser um diferencial caso você tenha mais de um filho ou queira monitorar mais de um ambiente. Basta comprar as câmaras extras e conectá-las ao monitor.

Controlo remoto da câmara

Algumas câmaras possuem um motor acoplado que permite o controlo remoto do ângulo de visão. Essa função pode ser interessante para monitorar crianças maiores que estejam a brincar num ambiente amplo, como uma sala, por exemplo.

Você clica nas setas do ecrã e a câmara move-se para mostrar a visão de outros ângulos do ambiente. Ideal para grandes espaços, quando não é possível enquadrar o ambiente inteiro com uma única câmara.

Função auto-follow (seguimento automático)

Com essa função, você não vai perder o seu filho de vista. Nos intercomunicadores com esse recurso, há um sensor de movimento que permite que a câmara se movimente e foque continuamente no bebé, ainda que ele se mexa (desde que ele esteja dentro dos limites da visão câmara).

Não esqueça

Um outro fator que deve ser considerado na hora de escolher seu intercomunicador é o alcance. Muitos fabricantes acabam sendo ousados com a estimativa em metros. Por mais que eles estabeleçam um valor de referência, outros fatores podem influenciar no alcance. O tipo de construção da sua casa, a espessura das paredes, por exemplo, podem interferir. Então leve isso em consideração.

Então, qual o melhor monitor para você? Para fazer a escolha certa, é preciso responder algumas perguntas. Por quanto tempo você quer usar o intercomunicador? Possui mais de um filho que precise monitorar ou quer monitorar mais de um ambiente? Trabalha em casa? Alguém te ajuda a cuidar do seu bebé? Mora em um lugar grande ou pequeno? Seu bebé dorme no seu próprio quarto? Você quer ser capaz de acalmá-lo sem precisar ir até ele? Esses são alguns exemplos de perguntas que podem te ajudar a saber quais funções são essenciais em um intercomunicador.

Dito isso, embora um intercomunicador facilite muito a vida dos pais, ele não substitui a supervisão de um adulto, e ao comprar um intercomunicador, leia cuidadosamente o manual do utilizador.

Acha que nosso post pode ajudar mais alguém? Partilhe!
Link copiado